Outubro Rosa Pet – Prevenção do Câncer de Mama em cadelas e gatas e como a nutrição pode ajudá-las


A campanha Outubro Rosa Pet vem para nos relembrar sobre o câncer de mama nas cadelas e gatas e a importância do diagnóstico precoce. Como tumores mamários são muito comuns em gatas e cadelas no Brasil, vou falar sobre o câncer de mama no universo pet e como a nutrição pode ajudar.


O que mudou no estilo de vida e na dieta dos pets ao longo dos anos?

Até não muito tempo atrás, o lugar dos animais de estimação era o quintal ou a área externa da casa, longe do olhar frequente dos moradores. Com o passar dos anos e a diminuição do tamanho das moradias, eles passaram a ter acesso ao interior da residência, acompanhando os passos de seus familiares, que começaram a observar de perto alterações no comportamento e no corpo de seus pets e passaram a levá-los com mais frequência ao veterinário. O acesso médico mais facilitado e cuidadores mais bem informados proporcionou um aumento no número de consultas, e os diagnósticos de câncer (e de outras doenças) aumentaram também. E não podemos deixar de falar da dieta: de início sendo feita com restos de comida e o que não servia mais para a mesa da família, hoje os pets contam com dietas industrializadas balanceadas e completas e comidas caseiras preparadas especialmente para eles, com direito a nutricionista veterinário e cozinha industrial. Os tempos certamente são outros para os pets!

Com mais atenção à saúde dos animais eles começaram a viver mais e ter mais tempo de vida para desenvolverem doenças como câncer, incluindo o câncer de mama (Obs.: sim, existem casos de câncer em pacientes jovens, mas esse assunto deixarei para outro texto)

Como identificar o câncer de mama em gatas e cadelas

O diagnóstico precoce ainda é o jeito mais eficaz de se obter sucesso no combate ao câncer de mama. Ele costuma aparecer como um “carocinho” em uma ou mais mamas, e seu crescimento não segue uma regra: pode de repente chegar ao tamanho de uma azeitona ou aumentar de tamanho de forma bem lenta. A melhor maneira de cuidar de nossas gatinhas e cadelinhas é tendo o hábito de examinar suas mamas com frequência. A gente pode, por exemplo, aproveitar aquele momento de carícias no sofá ou no tapete da sala para apalpar todos os cinco pares de mamas que elas têm e que vão do tórax até a região inferior do abdômen.


O tumor na mama às vezes se parece com um grão de arroz, uma ervilha ou simplesmente deixa uma parte mais grossa na pele. Por isso, qualquer alteração em uma ou mais mamas precisa ser levada muito a sério, mesmo que seja bem pequena, e a consulta com o veterinário deve ser marcada o quanto antes, pois a evolução da doença pode ser bem rápida.


O que a dieta tem a ver com os casos de câncer?

A nutrição sempre cumpre papel fundamental no tratamento de tumores de diversos tipos em cães e gatos. Alguns casos de câncer podem resultar na rápida perda de peso do paciente, seja por inabilidade ou falta de desejo de comer ou ainda por dificuldade em aproveitar os alimentos ingeridos. Esta é uma realidade a que devemos estar muito atentos, uma vez que a nutrição adequada do paciente tem relação direta com a melhor resposta ao tratamento, diminuição de efeitos colaterais e melhor cicatrização, nos casos de cirurgia.

Diferenças no comportamento biológico do tumor, estadiamento tumoral e reação individual de cada paciente podem afetar o resultado do tratamento realizado e as indicações nutricionais, sendo que não existe uma única dieta que sirva para todas as cadelas ou gatas com tumor de mama. Portanto, é primordial buscar a orientação de um veterinário especializado em nutrição para adequar a dieta a cada caso.


Fique sempre de olho no que e no quanto o seu pet com câncer está comendo. Qualquer alteração no apetite e/ou no peso deve ser conversada com um veterinário nutrólogo o mais rápido possível, pois é muito mais fácil e eficaz prevenir a perda de peso do que tentar reverter o quadro de um animal que já emagreceu mais do que deveria.



É comum animais em quimioterapia por exemplo, terem vômitos ou diarreia, falta de apetite ou dificuldade para comer, e por esse motivo ouço muito dos clientes e de veterinários “ah ela perdeu peso mas é por causa da quimioterapia, é assim mesmo!”….o que eu sempre digo é: pode até ser frequente de acontecer, mas a falta de apetite e a perda de peso NUNCA deve ser considerada como normal. Se a sua gata ou cadelinha faz algum tratamento e está perdendo peso sem razão, algo de errado está acontecendo e isso precisa ser investigado!


O suporte nutricional, além de ajudar em uma melhor resposta ao tratamento anticâncer, reduzir efeitos colaterais e favorecer a cicatrização, pode também melhorar alterações metabólicas que podem ser induzidas pelo câncer em cães e gatos. Essas alterações metabólicas podem continuar acontecendo mesmo depois de uma cirurgia para a retirada do tumor, trazendo más consequências futuras. Por esse motivo, o acompanhamento nutricional deve ocorrer não só durante mas também antes e pelos próximos anos após o tratamento anticâncer instituído.



Cães e gatos alimentados durante toda a vida de forma saudável e equilibrada, com a manutenção do peso corporal adequado, têm menor probabilidade em desenvolver uma série de doenças, inclusive o câncer.



Uma dieta bem formulada e com

alimentos de boa qualidade é muito importante não só para o tratamento, mas para a prevenção do câncer e de outras doenças. Independentemente de ser oferecida uma dieta caseira ou industrializada, a boa alimentação é crucial para a qualidade de vida do pet.


Por fim, a nutrição adequada e manutenção do peso ideal pode prevenir o câncer ou aumentar a qualidade e o tempo de vida de animais que já tenham a doença. Nutrição faz parte do tratamento, e o acompanhamento de um veterinário nutrólogo além do oncologista aumenta e muito as chances de melhor qualidade de vida das fêmeas com câncer de mama.


Gostou do artigo?

Assine já !

ARTIGOS RECENTES

© 2017 Vanessa Muradian

Todos os direitos reservados