A constelação familiar pode curar a doença do meu pet?

Perguntas frequentes de tutores – Parte 1


Olá, pessoal! Como prometido, vou trazer respostas para as perguntas mais frequentes sobre constelação familiar com animais. No post anterior, contei como cheguei a essa técnica (que alguns chamam de “constelação veterinária”), então se quiser saber mais é só clicar aqui.


Vou começar com a dúvida número um dos tutores: a constelação pode curar meu pet? Serei bem direta e transparente com você: a constelação não foi desenvolvida para curar, não foi feita como uma promessa de cura de doenças. Mas, a constelação pode indicar a origem de um problema. Vou detalhar melhor como isso acontece.

Se você quer entender mais do assunto antes de continuar, leia o post O que é constelação familiar? e depois volta pra cá ;)

Às vezes, o pet tem uma doença que está se manifestando no corpo dele, mas que é de fundo energético, então podemos olhar para a causa dessa doença. Apenas lembrando que, se a doença está se manifestando fisicamente, a primeira coisa a ser feita é levar o animal ao veterinário. Exames, diagnóstico, tratamento... Tudo isso vem antes de qualquer outra medida! Dito isso, como então a constelação pode ajudar?

O objetivo da constelação é investigar a origem de um problema, físico ou comportamental, para tentarmos entender se é uma questão direta do animal, do sistema dele, ou se tem a ver com o tutor e seu sistema familiar. Existe ainda a possibilidade de se descobrir que a doença é um problema puramente físico.


Aí, você talvez queira perguntar: “Mas, doutora, pode acontecer uma melhora ou uma cura depois da constelação?”. Sim, já vi acontecer, então é possível que os animais apresentem melhora de comportamento e até na saúde. Mas também já vi casos em que nada mudou. Por isso, é bom que fique claro que não existe essa promessa, não temos esse controle e não podemos fazer a constelação com essa intenção.

Mas, quando vemos na constelação que o pet está adoecendo porque está carregando algo do sistema do tutor, vai depender do próprio tutor querer olhar para isso para poder liberar o pet. Daí agora sou eu que lanço a pergunta: quanto a pessoa que busca a constelação está disposta ou preparada para olhar para as questões que surgirem, que nem sempre serão agradáveis?

Eu vou reforçar que, se existe um problema de saúde do pet, é necessária a ajuda de um veterinário, e se o problema for do tutor, é necessário ir ao médico, psicólogo, fisioterapeuta, psiquiatra etc., porque a constelação não é tratamento médico e nem veterinário.

Vou dar um exemplo real para ilustrar tudo isso o que estou querendo dizer. E se você acha que a constelação também pode ser bom para você, dá uma conferida no post Por que procurar a técnica de constelação familiar?


Havia um rapaz que já tinha tido quatro gatos, um após o falecimento de outro. Ele relatou que todos os seus gatos adoeciam com muita frequência. Fazia o tratamento para uma doença e na sequência aparecia outra. Quase todo mês ele tinha que ir pro veterinário, sempre por motivos diferentes!

Esse rapaz veio até mim dizendo estar cansado com a situação, pois amava e tratava seus gatos muito bem, oferecia tudo de bom, e mesmo assim eles sempre adoeciam. Quis então buscar, do ponto de vista sistêmico, um entendimento para o que vivia com seus bichanos, até para saber se o que gerava tudo isso era ele mesmo. “Será que sou tão ‘zicado’ assim?”, chegou a perguntar, em tom de brincadeira, porém visivelmente preocupado.

Durante a dinâmica da constelação, apareceu uma tristeza muito grande, e havia uma ligação intensa entre essa tristeza e as doenças dos gatos. Nesse momento, ele foi questionado: “Isso faz sentido para você? Tem alguma questão de tristeza que você identifique?”, ao que ele respondeu que sim, fazia muito sentido.

Contou que sentia uma tristeza grande em relação à mãe, que não se davam bem e não tinham bom relacionamento, mas ele não queria falar sobre o assunto. Expliquei que o campo mostrava a tristeza ligada ao adoecimento dos gatos, mas ele foi irredutível: “eu não quero falar disso, não quero saber da minha mãe, vim apenas para saber dos meus gatos”. Em casos assim, respeitamos a decisão da pessoa, mas não podemos fazer nada para ajudar.

A constelação não pode fazer por alguém o que esse alguém não está pronto ou disposto a fazer. O mesmo vale quando estão envolvidos animais. Costumo dizer que a constelação levanta o tapete para que você veja o que está lá embaixo, mas ela não limpa para você. Por si só, ela não resolve problema algum.

E você, está a fim de descobrir e entender o seu sistema familiar e como esse conhecimento pode ajudar a resolver questões importantes para você, sua família e até para o seu pet? Se você se interessa pelo assunto, veja também os posts sobre Qual o papel do seu pet no seu sistema familiar? e Você chama seu pet de filho? O que isso pode significar do ponto de vista da constelação familiar.


No próximo post eu vou responder mais uma pergunta muito comum: eu e meu pet temos a mesma doença, o que isso pode ter a ver? E na sequência ainda teremos mais posts com mais perguntas e respostas, então não perca as atualizações.

Até breve!

Gostou do artigo?

Assine já !

ARTIGOS RECENTES