6 perigos das festas de fim de ano para seu pet!

Com a chegada das festas de fim de ano nossas famílias naturalmente já estão se preparando para almoços e jantares, confraternização com amigos e todas as guloseimas que esse período nos traz.


Ao mesmo tempo, pensamos também nos quilos extras que podemos ganhar, e já ensaiamos as promessas de ano novo para perder todo o peso acumulado nesse período. Mas.... e nossos pets? Será que devemos nos preocupar com o efeito das festas de fim de ano na saúde deles também? Com toda certeza que sim. Confira abaixo 6 perigos que nossos pets correm durante as festas de fim de ano:




1. Ingestão de enfeites e outros objetos


Esse é um período lindo em nossas casas, que costumeiramente são enfeitadas com árvores de natal e decorações diversas. Tudo de diferente para um pet curioso que pode querer brincar com os enfeites e, acidentalmente (ou não), comer o que não deveria. Gatos por exemplo A-DO-RAM "atacar" as árvores de natal, lutar com os enfeites e mastigar os fios coloridos. Alguns enfeites podem passar pelo estômago e intestinos e serem eliminados com as fezes, mas outros podem causar obstruções ou até perfurações, principalmente se forem mastigados e engolidos aos pedaços, necessitando de endoscopia ou até cirurgia para serem retirados. E procedimentos de emergência nessa época do ano estão longe de nossas lista de desejos, fique de olho!




2. Choque elétrico


Falando na decoração de nossa casa nada mais bonito do que as luzinhas coloridas piscando dia e noite. Nossos pets também pensam assim, e diferente de nós eles têm o hábito de usar a boca e as patinhas para testarem as luzinhas, o que pode causar choques por fios desencapados (ou que eles mesmos desencapam ao morder), podendo causar desde queimaduras sérias até a morte!


Se não for possível ficar de olho no seu pet em todo momento, deixe as luzinhas fora das tomadas nos momentos em que eles ficarem sem supervisão, mas não permita que eles brinquem com os fios mesmo quando estiverem desligados: o risco de curto circuito e incêndio na árvore (e no resto da casa) por fios que foram mastigados é real e muito sério!



3. Acidentes por quedas


Como comentei a presença de familiares e amigos em nossa casa é sempre uma delícia, mas lembre-se que essas pessoas não moram na nossa casa e não têm os nossos hábitos. Faça uma sondagem pela casa antes das festas e anote todos os riscos possíveis: janelas que não devem ficar abertas, escadas por onde os cães podem cair, laje, móveis pesados e instáveis que podem cair em cima de nosso cão ou gato, anotem TUDO o que pode ser um risco em potencial. Se não for possível manter seu pet seguro com tanta gente em casa (que provavelmente não irá lembrar de nossas recomendações) pode ser melhor deixá-lo em uma área conhecida e segura até as pessoas irem embora, como quintal, algum quarto, garagem ou outro cômodo (só não deixe seu pequeno peludo na garagem se seus convidados forem entrar e sair com os carros durante as festas, o risco de atropelamento acidental é grande).



4. Intoxicação alcoólica


Acredite ou não, seus convidados podem até não dar bebidas com álcool para seu cão mas as chances de deixarem um copo meio cheio por aí é grande, facilitando o acesso do seu pet a líquidos com aromas "interessantes". Uma lambidinha aqui, outra ali, e após alguns goles seu cão pode estar um pouco mais do que "alto". Intoxicação alcoólica infelizmente é comum nos hospitais veterinários nessa época do ano, e todo cuidado é pouco. De tempos em tempos dê uma geral na casa ou peça para algum ajudante recolher copos e latas espalhados pelo chão, mesas, cadeiras e todos os locais que seu cão pode ter acesso.



5. Fogos de artifício


Nem todos os cães se assustam com os fogos, mas há aqueles que entram verdadeiramente em pânico, podendo inclusive, numa tentativa desesperada de fugir do local, pularem muros, janelas e sacadas. Se você já sabe que o seu cão é sensível ao barulho dos fogos, fique perto dele quando for próximo da meia noite, se possível num cômodo seguro; colocar um pouco de algodão em seus ouvidos pode ajudar a diminuir o ruído para ele e nunca, em nenhuma hipótese, o deixe sozinho em casa. Acidentes fatais infelizmente são comuns quando cães tentam fugir dos ruídos dos fogos.



6. Ingestão de alimentos seguros para nós mas tóxicos para eles


Participando das festas em casa, nossos pets têm contato com diversas pessoas que não estão acostumadas com eles e, até com a melhor das intenções, acabam dando petiscos que eles não deveriam receber. Além disso, diante das maratonas culinárias na cozinha na preparação das ceias, é comum alguns pratos ficarem por mais tempo em cima das mesas, literalmente um "prato cheio" para focinhos aguçados que veem uma boa oportunidade de "roubar" um pedacinho daquele cheiro gostoso que de repente apareceu em casa.

Dependendo do alimento apenas um pouquinho pode não trazer problema algum, mas além de contribuir com um possível sobrepeso nesse período há alguns petiscos que de maneira alguma podem ser dados aos cães, com o risco de intoxicá-los.


Um dos alimentos que precisamos tomar muito cuidado é com o chocolate.

Presente em muitas guloseimas de fim de ano, como panetones, pudins e bolos, pedaços de chocolates caídos pelo chão podem ser um perigo aos cães. Eles contém uma substância alcalóide, da mesma família da cafeína, chamada teobromina, que quando ingerida pelos cães pode causar vômitos, diarréias, excitações e até convulsões e coma!


"Ah mas de vez em quando meu cão come e nunca passou mal por causa disso", você pode dizer. Sorte sua (e dele) e fico feliz em saber que ele nunca passou mal.


Na verdade o teor de teobromina depende do tipo de chocolate (ao leite, branco, amargo), da quantidade de chocolate consumida e do peso/tamanho do cão. Um pedaço pequeno de chocolate num Dogue Alemão de 70 kg possivelmente não irá causar o mesmo dano do que uma barra inteira em um pinscher de 2 kg. De qualquer forma, para não correr nenhum risco, é muito importante informar a família e as visitas para serem cautelosos e não darem nada aos seus cães, mas nada MESMO.




Não existe antídoto ou tratamento específico para intoxicação por chocolate, apenas tratamento sintomático (fluidos, medicações para interromper os vômitos etc).



Se o seu cão tiver algum sintoma estranho e puder ter comido chocolate ou algo mais que não deveria (lembre-se SEMPRE que nessa época nossas casas estão cheias de enfeites de árvores de natal, fios elétricos com luzinhas piscantes, embalagens e papéis de presentes caídos pelo chão, enfim, muitos itens extras que podem ser ingeridos num piscar de olhos) leve-o o mais rápido possível ao seu veterinário de confiança.


Com os devidos cuidados, as confraternizações de fim de ano serão seguras e felizes para todos. BOAS FESTAS!


Gostou do artigo?

Assine já !

ARTIGOS RECENTES

© 2017 Vanessa Muradian

Todos os direitos reservados