Dieta caseira ou comercial, qual a melhor para meu pet ?




Atualmente, muito se fala sobre alimentação natural para os seres humanos: pouca gordura, baixo açúcar, sem lactose, sem glúten, sem corantes, sem transgênicos, alimentos orgânicos e por aí vai. Quem tem um animal de estimação em casa acaba transferindo essas preocupações para ele também: será que a ração que meu cão come é boa para ele? Será que deveria dar comida caseira? Mas se der, deve ser crua ou cozida? Precisa de suplementos? Toda ração é igual? Diante de tantas opções, qual a melhor para meu pet ? Em linhas gerais o melhor alimento para seu pet é o que for completo e balanceado para ele e aquele que você pode oferecer. O alimento deve ser de qualidade, seguro (ausente de contaminantes como bactérias e toxinas), conter todos os nutrientes que os cães ou gatos necessitam para serem saudáveis e, claro, caber no bolso da família. Mas isso não é suficiente: precisa também se adequar ao seu estilo de vida e ao tempo que você terá disponível para alimentar seu peludo. Se você trabalha o dia inteiro, faz plantões esporádicos à noite, viaja com frequência sem ele e não tem uma rotina fixa, talvez a ração seja a melhor opção, pela praticidade de conservação (não precisa de geladeira) e de oferta: apenas abrir o pacote e servir. Comida caseira, apesar de poder ser congelada, precisa de alguém disposto não somente a fazer a comida mas também a estar em casa e com tempo para descongelar a comida, colocar o suplemento, servir, retirar após o pet ter comido e colocar fora do alcance dele, os restos. Além disso se você for viajar com seu pet precisará levar geladeira térmica e se preocupar com o tempo de viagem (para que o alimento não estrague no caminho) e na conservação no local de hospedagem. Selecionei abaixo alguns prós e contras de oferecer dieta comercial ou caseira para seu pet de acordo com alguns critérios:


Conservação




Ração: possui baixo teor de umidade e é conservada com produtos que permitem que o alimento dure por meses em condições adequadas de conservação.


Comida caseira: possui alto teor de umidade, precisa ser conservada em freezer ou geladeira e, após servida, pode ser deixada pouco tempo em temperatura ambiente antes de estragar, ou apenas alguns dias em geladeira.

Ingredientes


Comida caseira: quem cozinha e quem compra os ingredientes sabe com certeza o que está sendo colocado no prato (pró)


Quem cozinha e quem compra os ingredientes tem total controle sobre adição ou subtração de algum ingrediente, o que pode ser prejudicial ao pet por modificar totalmente o balanceamento da dieta feita pelo veterinário. Ex: o veterinário colocou fígado na receita mas o cliente comprou moela; a receita pedia frango mas foi colocado carne de vaca; o suplemento acabou e ainda não chegou o novo pedido. Todas essas e outra mudanças podem desbalancear completamente a dieta e deixá-la incompleta, o que pode ser perigoso para seu animalzinho (contra)


Ração: a mistura dos ingredientes é feita na fábrica de ração e, apesar da lista dos ingredientes estar escrita na embalagem isso não é nada claro para a maioria das pessoas, que ainda têm dúvidas quanto ao que realmente está sendo oferecido ao seu pet. (contra)

A receita não pode ser modificada pelo cliente e portanto o balanceamento realizado na fábrica será sempre mantido (pró)

Preço

Ração: na grande maioria das vezes são usados subprodutos de alimentos na fabricação, o que deixa a receita final com preço bastante acessível, além de diminuir desperdício de alimentos.

Comida caseira: por escolha do cliente também pode ser feita com alimentos de qualidade inferior mas normalmente quem escolhe esse tipo de dieta para seu cão ou gato utiliza de alimentos de boa qualidade, normalmente os mesmos consumidos pela família. Isso é benéfico para a saúde do pet mas costuma deixar sua dieta mais cara que a ração. Em resumo, quem se aventurar a dar comida caseira ao seu pet precisa ter em mente que ela precisa ser muito bem balanceada e formulada por um veterinário nutrólogo, para ter certeza de que todos os nutrientes necessários estão não apenas presentes na dieta mas também nas quantidades necessárias. Um suplemento vitamínico e mineral é imprescindível (eu recomendo o suplemento COMPLET). Além disso, a família precisa estar 100% comprometida com o acompanhamento da saúde de seu animalzinho e entender os riscos de modificar qualquer ingrediente sem consultar o veterinário que formulou a dieta.


Se forem usados alimentos frescos e de qualidade poderá proporcionar grandes ganhos em saúde e bem estar.





Gostou do artigo?

Assine já !

ARTIGOS RECENTES

© 2017 Vanessa Muradian

Todos os direitos reservados